“Se há uma coisa que ainda tenho é memória. O que é péssimo. Se eu esquecesse as coisas de vez em quando, todos nos estaríamos um pouco mais felizes.”
Os 13 porquês.   (via nobroke)

“Acabou. Boa sorte.”
Vanessa da mata.  (via nobroke)

“Nenhum poema mais faz sentido. Que lindo, me livrei de você.”
Eu me chamo Antonio.    (via quotizou)

“Mas é que contigo,
eu floresço até
no inverno.”
Manuscrituras, para Deus  (via eternurices)

“Percebi que sem querer, te quis o dia inteiro.”
It’s not me, it’s you.   (via eternurices)

“O inverno mais uma vez chegou, chegou assim sem avisar, assim de repente, sem nenhum remetente. Soprou um vento frio, que estremeceu todo o meu corpo, procurei algum agasalho e não encontrei, vasculhei todo guarda roupa e nada, sentia minhas espinhas sucumbirem de tantos calafrios, não sei o motivo, mas esse inverno estava diferente, mais agressivo, mais opressor, me encurvei diante da minha cama e comecei a desabar. As palavras já não saiam, um turbilhão de lágrimas foram acarretadas em uma fração de segundos, meu peito comichava de tanta dor, o frio abafara o meu grito e estava desfalecendo aos poucos.
Lembro daqueles verões recheados de risos, daquele calor tão gratificante que me completava por inteiro, mas o tempo passa, as estações precisam se mudar, esse é o curso da vida, tudo é efêmero, vivemos dias efêmeros, nosso corpo é efêmero, porém nossa alma, é perpétua. E por ser essa a natureza dela, os invernos veem, vão embora e depois voltam, até o findar dos nossos dias aqui nesse plano terrestre. Mas o problema é que quando se está despreparado, as dores são maiores, cada zéfiro gélido nos deixa abatido, tudo se torna uma verdadeira labuta.
E diante desse cenário de senilidade, desabei, mas, desabei para quem realmente poderia mudar o meu estado, desabei pro pai celestial, pro todo poderoso, pra Deus.
Nunca fui religioso, nunca acreditei muito nesses átrios de religião e doutrinas, mas era a minha única e última saída, precisava sair desse inverno, senão seria o meu fim…
Aos poucos, um calor foi me esquentando, os calafrios foram desaparecendo e todo frio se evaporando, sim, existia uma luz no fim do túnel, eu encontrei naqueles braços o agasalho que tanto procurava, era tão maravilhoso está ali, no seu colo me senti tão seguro, que mesmo se o mundo explodisse não temeria, e os dias foram se passando, e eu estava me apaixonando cada vez mais por Deus, sim, isso mesmo, sempre me perguntava como era possível amar alguém ou algo que não víamos, mas com ele foi diferente, eu não conseguia vê-lo mas o sentia, eu não conseguia vê-lo mas sabia que estava sempre ao meu lado, eu não conseguia vê-lo mas ele era o meu perto seguro, e eu ainda não consigo vê-lo, mas por ele, sinto todo o amor do mundo.”
— Gean Carlos (via jovemde-deus)

Acho que sou a pessoa mais indecisa do mundo, mas não tenho certeza.


“E essa saudade é a prova de que você ainda vive em mim.”
Gian Lucas.   (via refugiarei)

staffyx